26 maio 2013

4

Resenha: O Preço da Vitória

 Livro: O Preço da Vitória
Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Páginas: 256

Myron Bolitar não é fã de golfe, mas, ao ser convidado por seu amigo Win para assistir ao Aberto dos Estados Unidos, aproveita a oportunidade para tentar conquistar novos clientes. E é o que acontece quando ele é procurado pelo pai de Linda Coldren, a golfista número 1 do ranking. Antes que perceba, Myron está novamente atuando como detetive, em busca de Chad, o filho de Linda que sumiu há dois dias.
O desaparecimento é mais um peso sobre os ombros do pai do garoto, o também golfista Jack Coldren, que lidera o torneio e luta para não repetir seu inexplicável fracasso de anos atrás.
Win se recusa a ajudar no caso ao ser informado de que foi sua mãe, com quem não fala há anos, que recomendou Myron à família Coldren. Mesmo sabendo que ela está à beira da morte, prefere manter distância.


RESENHA

Ahhh mais uma vez Harlan me surpreende. Nesse livro pude perceber que Myron depende muito da ajuda do seu amigo. Sem Win, Myron fica meio perdido e faz algumas besteiras.
Mas então, vamos ao que interessa, Myron é chamado para resolver o problema do sequestro de Chad, filho de dois golfistas conhecidos no Aberto dos EUA (Linda e Jack Coldren). Sua mãe é uma das maiores golfistas da atualidade, já seu pai é um frustrado pois perdeu o título no Aberto dos EUA mesmo tendo uma grande vantagem e chances de ganhar. Atualmente ele está disputando com um adversário jovem que está fazendo muito sucesso, e novamente tem muitos pontos de vantagens. O que chama a atenção é o parentesco desse casal. Linda, nada mais é que prima de Win.
Quando pensa que contará (como de costume) com a ajuda de Win, Myron fica sozinho nessa investigação. Sozinho não, porque Esperanza nunca o abandona.  
No meio da investigação do sequestro, Myron não perde a oportunidade de caçar atletas para agenciar (Linda, por exemplo e Tad Crispin, o adversário de Jack), nesse caso, Win aparece e dá aquele empurrãzinho ao amigo.
Win não se mete no caso do sequestro, e Myron acaba se deparando com o passado do seu melhor amigo.
Toda a sua história vem a tona juntamente com a resolução do mistério e, enfim  entendemos porque Win é do jeito que é com as mulheres e suas demais atitudes.

Mais um livro maravilhoso da série do Myron Bolitar.
Simplesmente fantástico.
 Como fã número 1 do Harlan, eu sempre recomendo.




18 maio 2013

6

Resenha: Alta Tensão

Livro: Alta Tensão
Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Páginas: 271


Myron Bolitar ficará frente a frente com um passado de mentiras e traição. Uma mensagem anônima deixada no Facebook da ex-estrela do tênis Suzze T põe em dúvida a paternidade de seu filho. Grávida de oito meses, ela pede a ajuda de seu agente e amigo Myron Bolitar para descobrir o responsável por essa intriga e trazer de volta seu marido, o astro do rock Lex Ryder, que saiu de casa depois de ler o texto. Descobrir o paradeiro de Lex não é tarefa difícil para um ex-agente do FBI. Mas, na mesma boate onde o encontra, Myron é surpreendido ao ver Kitty, a mulher que fugiu com seu irmão, Brad, e o afastou para sempre da família. Tentando ajudar a amiga e reencontrar o irmão mais novo, Myron se vê preso numa rede de segredos obscuros que põe em risco as pessoas que ele mais ama. Agora, só a verdade poderá salvá-las. Mas, para que ela prevaleça, nenhuma mentira pode restar – seja ela de Suzze, Lex, Kitty ou do próprio Myron. Nesta premiada história, Harlan Coben mais uma vez consegue construir uma trama envolvente, que fala de fama, ganância e rivalidade e surpreende por seu toque humano. Na aventura mais difícil de Myron Bolitar, seu passado vem à tona e, junto com ele, feridas que jamais se fecharão.

RESENHA

Como todos já sabem eu amo as séries do Myron, mas essa tem um toque mais especial, porque fala diretamente da família do Myron.
Suzze foi uma ex atleta de tenis na mesma época de Kitty, que vem a ser a cunhada de Myron.  Ao investigar a mensagem anônima que Suzze recebe através do facebook, no qual põe em questão a paternidade de seu filho, Bolitar reencontra Lex (marido de Suzze) um cantor que ele já foi agente e descobre que sua cunhada e seu sobrinho estão na cidade.
Esse reencontro com o passado, traz a tona histórias que eu tinha lido em Refúgio (a história de Mickey Bolitar, sobrinho de Myron). 
A história de Myron e seu irmão, que não se falam há 16 anos, por causa de uma briga, envolvendo Kitty.  No meio desse tumulto de lembranças, seu pai fica doente e um sentimento de impotência toma conta de Bolitar. 
Mas com a ajuda de Win e Esperanza,  Myron consegue desvendar o mistério da mensagem e vai além dessa história.
Foi um dos melhores livro que eu já li da série, pois encontro um Myron mais velho, mais inteligente, mais astuto e muito mais divertido. 

Como sempre, recomendo todos os livros do Harlan Coben.




12 maio 2013

1

Resenha: Em Chamas


Autor: Suzanne Collins
Editora: Rocco
Edição: 2011
Páginas: 416 

Sinopse:
Depois de ganhar os Jogos Vorazes, competição entre jovens transmitida ao vivo para todos os distritos de Panem, Katniss agora terá que enfrentar a represália da Capital e decidir que caminho tomar quando descobre que suas atitudes nos jogos incitaram rebeliões em alguns distritos. Dessa vez, além de lutar por sua própria vida, terá que proteger seus amigos e familiares e, talvez, todo o povo de Panem.



RESENHA:

Primeiro eu vi o filme, depois eu li o livro e em seguida eu resolvi ler o segundo livro da trilogia do Jogos Vorazes.
Em Chamas - o lado de bom de ler um livro depois te der visto o filme: você lê imaginando os personagens do primeiro filme. O lado ruim: você lê imaginado os personagens do primeiro filme rsrs.
Por quê será?
Simplesmente porque você não tem aquele gostinho de usar a imaginação. Poder imaginar os personagens do seu jeito, faz toda diferença e realmente eu senti falta disso.
Mas, vamos a resenha:

Depois de ganhar os Jogos Vorazes, graças a suas amoras, Katniss e Peeta voltam ao Distrito 12, começam a nova vida fazendo a Turnê da Vitória, que consiste em uma passada em todos os distritos e cumprimentar os familiares dos outros tributos mortos. Porém a sua história de amor com Peeta, não foi muito bem recebida pelo presidente Snow. E no meio desse turbilhão envolvendo seu romance e a ameaça do presidente, Katniss descobre o verdadeiro sentimento por seu melhor amigo Gale, e procura um jeito de salva-lo, junto com sua família.
 Mas, como nem tudo são flores, eles são escolhidos para disputar o 75° Jogos Vorazes, uma edição que ocorre a cada 25 anos, e quem participa são os vitoriosos de cada distrito, conhecido como O Massacre Quaternário.
Diferente do ultimo jogo, onde Katniss só teve dois aliados, nesse ela acaba por se juntar a um grupo significativo de tributos vitoriosos, até que a hora do “cada um por si” chegue.
Personagens como Finnick, Beete e Johanna, transformam o Massacre, na melhor parte do segundo livro e revela uma emocionante história.


Confesso, que o final do "Em Chamas" me senti meio perdida, mas bem empolgada para ler o terceiro livro "A Esperança".
Para que deseja ler: “Que a sorte esteja sempre a seu favor”.

11 maio 2013

2

Resenha: Casamento Blindado

Autor: Renato e Cristiano Cardoso
Editora: Thomas Nelson Brasil
Edição: 2012
Páginas: 271
Sinopse:
Numa sociedade onde as pessoas vivem se divorciando para se casar de novo e vão sendo formados novos arranjos conjugais, parece um contrassenso falar em casamento para a vida toda. Porém, muitos acreditam que essa ainda é a modalidade de união mais sadia e sólida. No livro ‘Casamento Blindado ― O seu casamento à prova de divórcio’, Renato e Cristiane Cardoso defendem que é possível ter um relacionamento feliz e duradouro. Segundo o casal, que apresenta o programa ‘The Love School ― A Escola do Amor’, exibido aos sábados pela Rede Record, o segredo está na “blindagem”, ou seja, medidas de prevenção que podem evitar a separação e fortalecer os laços.
Renato e Cristiane compartilham sua longa experiência adquirida durante os anos em que aconselharam milhares de casais. Casamento Blindado ― fruto do curso de mesmo nome, ministrado pelos autores ― explora as diferenças entre o homem e a mulher, analisa as raízes principais de discordâncias e brigas, identifica as oportunidades de demonstrar carinho e cuidado, e apresenta situações reais que os autores viveram ou testemunharam.
 
RESENHA:

Ahhh esse livro foi um diferencial na minha vida.
No início pensei de ser mais um livro de auto-ajuda em relacionamentos. Me surpreendi com a capacidade da linguagem, feita de uma maneira que não tem como não entender a proposta do livro. Apesar de ser um livro escrito por um pastor e sua esposa, a forma como eles contam os fatos é tão íntima que parece que você está conversando com alguém mais experiente.
Vou destacar alguns pontos que eu achei interessante no livro:


  • Li Casamento Blindado, numa semana que eu tinha acabado de fazer um curso sobre Gestão de Resultados. E já de início consegui compreender o ritmo que o livro estava levando, comparando o casamento com uma empresa. Não há entendimento melhor, sobre casamento nos dias atuais, onde a mulher é independente e trabalha fora, e o homem é o chefe de família. Quem trabalha em empresa, vai entender rapidinho;
  • Como uma Engenheira eletricista, eu amei o capítulo sobre instalar para-raios no casamento. Trata sobre ansiedade nos casamentos e a maneira como as palavras devem ser usadas corretamente para não atingir/magoar o parceiro;
  • Ahh como eu lembrei de muitas amigas minhas, que transformam os maridos (namoridos/namorados) como o SOL da vida delas. Vale a pena conferir esse capítulo, para não repetir alguns erros.
  • E o melhor de todos foi um capítulo muito bem desenvolvido, explicando sobre o funcionamento do homem x mulher. Que atire a primeira pedra a mulher que não se identificar sobre a parte de "uma caixinha para cada coisa". Simplesmente perfeito.
Recomendo para todos aqueles que vão casar, pensam em casar ou que já estão casados. Um livro super gostoso de ler, que fala dos princípios da Bíblia, relacionamento conjugal, sexo, parceria, companheirismo. Um livro pra toda vida!!


01 maio 2013

4

Resenha: 1822 - Laurentino Gomes

Autor: Laurentino Gomes
Editora: Planeta
Gênero: Geografia e História/História do Brasil
Edição: 2011
Páginas:232

Sinopse - 1822
Como um homem sábio, uma princesa triste e um escocês louco por dinheiro ajudaram D. Pedro a criar o Brasil - um pais que tinha tudo para dar errado

Um livro que desvenda os acontecimentos históricos com uma metodologia sem falhar e que se lê com um sorriso nos lábios. O livro 1822 pretende mostrar que país era este que a corte de D. João deixava para trás ao retornar a Lisboa, em 1821. Vai falar do Grito do Ipiranga, das enormes dificuldades do Primeiro Reinado, da abdicação de D. Pedro, em 1831, sua volta a Portugal para enfrentar o irmão, D. Miguel, que havia usurpado o trono, e a morte em 1834.



RESENHA:
Outro livro que eu simplemente adorei.

Para escrever o livro, Laurentino manteve a mesma linha de pesquisa que usou em sua obra anterior, 1808, mantendo também o mesmo estilo de narrativa. Em 1822, ele descreve o período de quatorze anos da história brasileira, entre 1821, data do retorno da corte portuguesa à Lisboa, e 1834, ano da morte do imperador D. Pedro I.
Com características de romance, de aventura ora cômica ora heróica, mas a certeza é que trata-se de história de não ficção. Laurentino expõe dados importante no seu segundo livro, onde conta a história de D. Pedro I, seu conturbado casamento, suas puladas de cerca, e seu amigo José Bonifácio e toda a história da independência do Brasil, numa visão que não é ensinada no colégio.
Um relato histórico e também psicológico, tanto das batalhas que compuseram o cenário nacionalista e liberal do século XIX, como dos personagens que ajudaram tudo isso a acontecer.
Em relação as histórias amorosas, D. Pedro I conta seus atos, seus amores e suas doenças sexuais (pois é, ele relata isso em cartas). Isso por que era casado com D. Leopoldina, mulher intelectual e virtuosa, possuidora de vários dons menos um que seu marido, D. Pedro I, admirava: beleza.
No livro, podemos ainda observar as mudanças que transformaram a cidade do RJ e o Brasil, após a passagem da família real (livro 1808). Um país divivido, de um lado com cultura, e no outro abandonado, esquecido e devastado por doenças. Não esquecendo de descrever a história do Imperador que foi aclamado e ao mesmo tempo odiado, por lutar contra seu irmão pela coroa Portuguesa.


1

Resenha: 1808 - Laurentino Gomes


1808
Editora: Planeta
Gênero: Geografia e História/História do Brasil
Edição: 2007
Páginas: 408

Sinopse:
 A fuga da família real portuguesa para o Rio de Janeiro ocorreu num dos momentos mais apaixonantes e revolucionários do Brasil, de Portugal e do mundo. Guerras napoleônicas, revoluções republicanas, escravidão formaram o caldo no qual se deu a mudança da corte portuguesa e sua instalação no Brasil.
O propósito deste maravilhoso livro, resultado de dez anos de investigação jornalística, é resgatar e contar de forma acessível a história da corte lusitana no Brasil e tentar devolver seus protagonistas à dimensão mais correta possível dos papéis que desempenharam duzentos anos atrás. Escrita por um dos mais influentes jornalistas da atualidade, "1808" é o relato real e definitivo sobre um dos principais momentos da história brasileira.

RESENHA:
Se você está se perguntando, por que essa engenheira gosta tanto de livros de história? A resposta é: meu sonho era fazer História, mas o destino me levou aos números rsrs
Com isso, começo a resenha de um dos grandes livros que eu simplesmente AMO.

1808 -  Conta a história da chegada da família real portuguesa desembarcando direto aqui no Rio de Janeiro. Qual seria a diferença do livro de Laurentino Gomes para um livro de História que estudamos para um vestibular? Eu diria que seria a narrativa, em tom de ficção, que o autor consegue contar toda uma história, conhecida, porém com uma série de pesquisas que levam D. João e sua corte passarem por várias aventuras.
A saída de Portugal foi rápida e atrapalhada, não houve um planejamento que pudesse avisar ao povo que se preparassem para a partida, apenas fixaram nas ruas um decreto explicando as razões da partida. A intenção de D. João era que sua ida para o Brasil poupasse um derramamente de sangue. E o Rio de Janeiro seria um abrigo, até abaixar a poeira lá em Portugal.
Destaca-se no livro a riqueza de detalhes sobre a acomodação de D. João ao chegar no RJ, o choque cultural da elite portuguesa, a população, situação urbana, hábitos dos moradores, sáude e as pricipais obras na cidade do RJ.
Laurentino Gomes ainda traça um perfil mais detalhado de D. João VI e Carlota Joaquina.
Como curiosidade: D. João VI, que se tornou rei somente após a morte de D. Maria, era uma pessoa depressiva, gorda, suja, que se vestia mal (repetia a mesma roupa em diversas ocasiões, ainda que rasgadas) e tinha medo de trovões.
Já Carlota Joaquina era feia, muito feia. Vivia tramando contra seu marido, com quem apenas mantinha um casamento de aparências (moravam em casas separadas), sendo movida pela ambição e pelo poder. 

Leitura recomendada, bem explicativa e de alto nível histórico.
© Criado por: Jaqueline Santos.
Tecnologia do Blogger.